In Nomine Preview – Os Coros de Anjos

Neste novo preview de In Nomine, estaremos apresentando os principais Costos de Anjos, presentes no livro básico de In Nomine. Escolhemos diversos sites parceiros para ajudar-nos  nesse preview, portanto, abaixo, você encontrará um link para cada parceiro, que estará apresentando um dos Coros.

______________________________

Os Coros de anjos são criações resplandecentes de força e nobreza — eles são os agentes da ordem de Deus na Sinfonia. Eles agem dentro de certos limites definidos por Deus, pelo Arcanjo a quem servem e por si mesmos.

Cada Coro tem uma ressonância, uma natureza específica à qual seus membros devem ser fiéis. Agir contra essa natureza é dissonante para a Sinfonia e afasta o anjo de seu verdadeiro eu. O conflito para manter o equilíbrio pessoal em um mundo indiferente é um dos desafios de servir a Deus — parte do custo de ser um anjo.

Por Outros Nomes . . .

Serafins: Trisagionistas, Os Mais Sagrados – Veja na RedeRPG

Querubins: Hayyoth, Os Guardiões – Veja no Judão

Ofanins: Tronos, As Engrenagens – Veja no RepublikaPop

Elohins: Dynamis, As Potestades – Veja na Dungeon Geek

Malakins: Reis, As Virtudes – Veja na RPG Notícias

Kyriotetes: Colmeia, As Dominações – Veja no RPGNEWS

Mercurianos: Interseccionistas, Amigos dos Homens – Veja no Rolando Dados

______________________________

Anjos e seus Refrigerantes: Um Exercício Abstrato

Estes exemplos ilustram a natureza dos vários Coros demonstrando como eles lidariam com a atividade de conseguir um refrigerante de uma máquina de refrigerante, de maneira abstrata.

Confrontado com uma máquina de refrigerante, um Serafim pediria de maneira desdenhosa que outro anjo lidasse com o problema por ele.

Confrontado com uma máquina de refrigerante, um Querubim esperaria para ver outra pessoa utilizando-a primeiro, então descobriria uma maneira de conseguir dinheiro, comprar um refrigerante e dar a alguém que precise de algo para beber.

Confrontado com uma máquina de refrigerante, um Ofanim arrancaria a porta das dobradiças, pegaria quantas bebidas pudesse e sairia rodando pela noite antes de atrair mais atenção.

Confrontado com uma máquina de refrigerante, um Elohim a reconheceria como uma mera extensão de uma gigantesca máquina propagandística, designada para extrair o dinheiro e a alma de seus clientes. Ele a levaria para casa para desmontá-la por prazer, maravilhando-se com a simplicidade de seu design e a complexidade de seu propósito.

Os Malakins não encontram qualidades redentoras em bebidas carbonatadas.

Confrontado com uma máquina de refrigerante, um Kyriotete pegaria duas moedas e . . . nossa, esse cara tem umas coisas legais nos bolsos.

Confrontado com uma máquina de refrigerante, um Mercuriano colocaria duas moedas na abertura e apertaria o botão da bebida que quisesse. (Mercurianos sempre têm um troco nos bolsos.)